Isiara Caruso - escritora - contos, minicontos, poesia, poetrix - Buenos Aires, Porto Alegre

Poesias

Quarenta

Quarenta



Completar quarenta...
Ah! Por certo não os desfrutei,
quiçá passaram rápido e não os vi.
Dizem que aí começa vida,
e creio que até possa ser verdade, ou talvez...
Porque a gente já sabe algo de caminhar,
e algo de voltar,
quem sabe de recomeçar.
Ou de remexer no já feito, e o que não fiz;
quem sabe no desfeito,
os dito e os não ditos,
o que se ouviu e que não se soube ouvir..
- de seu coração na hora devida;
- de seus filhos, porque tinha pressa,
- de seu/sua amado/a, porque falava junto,.
- ou estava envolvido em outros pensamentos
e
agora pode rever os passos,
os que passaram,
e escolher melhor os que dará amanhã,
um a um, com a confiança de poder retroceder.
De poder viver a mesma vida
como se fosse outra vida, nova
e não ficar sem sonhos;
não fechar os ouvidos ao coração;
não pensar sem alma;
não julgar sem tempo;
não esquecer de perdoar-se
e de perdoar aos demais;
Viver como se fosse o último dia da vida,
como se não houvesse amanhã.

Isiara Caruso
04/07/2016